Produtos siderúrgicos já são 50% das exportações do Ceará

07/07/2017

 (FOTO: MARCOS STUDART)

No primeiro semestre, os produtos semimanufaturados de ferro ou aço foram responsáveis pela metade da pauta de exportação do Ceará, somando US$ 482,34 milhões. O valor é mais de dez vezes superior ao do segundo produto mais exportado pelo Estado no período, a castanha de caju, fresca ou seca, sem casca, que somou US$ 47,05 milhões.

Ao todo, as exportações cearenses somaram US$ 964,86 milhões nos primeiros seis meses de 2017. Isso representou um crescimento de 104,13% em relação a igual período do ano passado. Os dados são do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic).

Na comparação com o segundo semestre de 2016 (US$ 178,27 milhões), o valor das exportações de semimanufaturados de ferro ou aço, que incluem a produção da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), tiveram crescimento de 170,5%.

Além dos produtos siderúrgicos e da castanha de caju, os principais produtos exportados pelo Ceará neste ano foram: calçados de borracha/plástico (US$ 41,91 milhões); sucos (sumo) de outras frutas (US$ 33,51 milhões); e outros calçados (US$ 32,41 milhões).

Apesar do avanço das exportações, a balança comercial do Estado apresentou um déficit de US$ 142,60 milhões no primeiro semestre. De janeiro a junho, as importações somaram US$ 1,10 bilhão, volume 49% inferior ao do primeiro semestre de 2016 (US$ 2,17 bilhões). Os principais produtos importados foram hulha betuminosa, não aglomerada (US$ 259,23 milhões); gás natural liquefeito (US$ 124,70 milhões); outros trigos e misturas de trigo com centeio (US$ 75,20 milhões); outras hulhas, mesmo em pó, mas não aglomeradas (US$ 27,98 milhões); e milho em grão, exceto para semeadura (US$ 23,71 milhões).

Junho

No resultado mensal, a balança comercial do Ceará registrou um déficit de US$ 35,42 milhões em junho, o quarto do ano.

O Estado registrou superávits apenas nos meses de fevereiro (US$ 48,47 milhões) e maio (US$ 23,76 milhões). Em junho, as exportações somaram US$ 140,6 milhões e as importações US$ 176 milhões, ambos os resultados inferiores aos constatados em maio, na ordem de 31,4% e 3,0%, respectivamente.

Na comparação com junho do ano passado, as exportações cresceram 79,6% e as importações tiveram queda de 87,8%.

Países

No primeiro semestre, o principal destino das exportações cearenses foram os Estados Unidos, com US$ 239,3 milhões, o equivalente a 24,81% do total. Em seguida, aparecem o México, com US$ 140,3 milhões (14,54%), Turquia, com US$ 71,07 milhões (7,37%), Argentina, com US$ 59,97 milhões (6,22%) e Itália, com US$ 55,31 milhões (5,73%).

Por outro lado, o país que mais enviou produtos com destino ao Ceará foi a China, com US$ 179,35 milhões, equivalente a 16,19% do total. Em seguida, aparecem os Estados Unidos, com US$ 140,7 milhões (12,71%), Colômbia, com US$ 122,72 milhões (11,08%), Austrália, com US$ 100,3 milhões (9,06%) e Argentina, com US$ 99,84 milhões (9,02%).

Fonte: Diário do Nordeste