Rede de Cooperação realiza café da manhã na AECIPP

01/04/19

No último dia 21 de março, a Associação das Empresas do Complexo Industrial e Portuário do Pecém (AECIPP) sediou café da manhã promovido pela Rede de Cooperação, um dos Eixos Estratégicos do Programa Território Empreendedor, iniciativa da CSP em parceria com o Sebrae Ceará e com apoio da Prefeitura de São Gonçalo do Amarante. Estiveram presentes mais de aproximadamente 50 membros da Rede, composta por empreendedores da região.

 

O evento estava como uma das primeiras ações no planejamento anual da Rede e a intenção do grupo de empreendedores foi conhecer o trabalho da AECIPP, bem como as empresas do Complexo, pois um dos principais interesses é fornecer para empresas de médio e grande porte, fomentando a cadeia produtiva da região. De uma forma geral, a Rede de Cooperação tem como propósito estimular o protagonismo e a autonomia das lideranças locais para trabalho conjunto, reunindo seus talentos, esforços e recursos para otimizar e alavancar soluções que beneficiem o desenvolvimento econômico da região. 

 

Os participantes do evento avaliaram que a oportunidade foi muito positiva para seus negócios bem como para as reflexões de desenvolvimento empresarial dos pequenos empreendimentos existentes na região. Os empreendedores também perceberam a importância da formalização, pois muitos dos integrantes da Rede de Cooperação ainda são potenciais empresários (aqueles que ainda não se formalizaram). Por fim, temas como associativismo e cooperativismo, que vêm sendo abordados na formação continuada do grupo, foram reforçados com este encontro.

 

Na ocasião, um dos comerciantes presentes declamou um poema de autoria dele sobre a história do Siupé, região em que ele reside.

 

História do Siupé

Por Zeferino Correia

 

A história de Siupé

vem de um pé de gameleira

aonde foi encontrada

a imagem padroeira

e foi levada para casa

por um cortador de madeira

 

Ele levou a imagem

e na sua casa guardou

e foi avisar ao patrão

o que ele encontrou

e quando voltou para casa

um grande susto tomou

 

A imagem se sumiu

e ele foi procurar

andou pra um lado e outro

já na hora de voltar

foi no pé de gameleira

a imagem estava lá

 

E assim foram três vezes

e pra acabar com a peleja

o povo se "reuniram"

e "disseram" ela deseja

no lugar da gameleira

fizeram uma igreja

 

Aí ficou animado

um lugar muito decente

a igreja todo dia

era cheinha de gente

"mais" aí com pouco tempo

o chefe ficou doente

 

Uma doença no pé

ele gemia de dor

era pra participar

de um encontro com um doutor

somente se o pé deixar

se o pé doer eu não vou

 

E no dia do encontro

na hora que ele chegou

o doutor ia chegando

e disse hoje é pé sem dor

se o pé deixar ele vem

ele disse, aqui estou

 

Ali fizeram um acordo

do lugar que você vem

vai ser chamado Siupé

chegou aqui é Pecém

estes nomes ninguém muda

porque mudar não convém

 

E hoje aqui em Siupé

tem muitos "pé" de mangueira

mais temos que respeitar

nosso pé de gameleira

porque ele representa

a casa da padroeira